sexta-feira, fevereiro 1

Reencontrar-nos


O melhor elogio que se pode dar a um filme é dizer que nos toca, que nos faz reencontrar. Que, por qualquer motivo, nos dá uma lição de Vida. The Darjeeling Limited é tudo isso: desde a combinação das músicas de Satiajit Ray passando por Joe Dassin e, sobretudo, os Kinks. Mas, é mais: a procura do Eu, o reencontro connosco e com os que nos são caros, tendo como pano de fundo as cores tépidas da Índia, a sua pobreza material, compensada pela espiritualidade inspiradora e pela dolência das suas músicas. Cinema como deve ser: com mensagem, harmonia na forma e, mais importante, um vibrar constante de emoções. Mais do que uma intelectualização sobre o que se viu, este é um filme que merece (deve!) ser vivido e sentido. Tal como a sua banda sonora eclética, The Darjeeling Limited é um concerto prodigioso de Humanidade. É, à imagem da viagem que motiva o filme, uma viagem espiritual.