terça-feira, janeiro 16

"Fugir"



Pressão. Expectivas altas. Toda uma multidão anseando ouvir o que temos para dizer. Um silêncio intímo de criatividade, contrastando com os brados que nos abraçam. A pressão. Sempre ela. A necessidade de fugir, para o vazio, para o silêncio. Uma intíma necessidade de nos encontrarmos connosco próprios, isolados do Mundo que, ameaçadoramente, abre a boca para nos consumir. Uma coisa é certa: em Fellini, o ilusionista e apaixonado pela vida, encontramos sempre uma solução. Ou, no mínimo, o seu princípio. Fugir (metaforicamente falando, como é óbvio) mais do que um fim, é um recomeço.