segunda-feira, julho 30

As palavras dos outros

Ora nem mais.
Em jeito de glosa - se me é permitido - o Cinema é, no essencial, uma mundividência particular. É um conjunto de imagens (in radice, 24 fotografias por segundo) destinadas a exprimir a visão do seu autor. Daí que o dito "cinema de Autor" seja mesmo o único que interessa. É "o" Cinema, porque não se limita a encaixar, o mais das vezes de forma acrítica, nos convencionais 90 a 120 minutos uma qualquer história banal. Independentemente do estilo do autor X ou Y, o que importa é a sua capacidade de pegar certos temas, glosando-os e desenvolvendo-os. A partir do momento em que temos a sua ambiência, o seu estilo e os seus temas, temos autor e, por maioria de razão, Cinema, de maior ou menor qualidade. Acontece que esta conclusão já depende de factores imanentes ao autor (talentoso ou não) e, também, do gosto e da sensibilidade do espectador: é que, como se sabe, o espectador é dotado de pré-compreensão, daí que dificilmente vá de cabeça vazia para ver um filme. Ou seja, dificilmente é neutro ao que vê.

8 Comments:

Blogger wasted blues said...

Bom texto e uma excelente glosa!

1:49 da tarde  
Blogger Daniel Pereira said...

Tenho uma visão mais negativa: infelizmente, o cinema ainda não ultrapassou a narrativa.

3:02 da tarde  
Blogger Ander said...

O cinema já ultrapassou a narrativa pelo menos desde o Antonioni, só para falar em conversa recente deste blog.

Já para não falar da fronteira entre o cinema de ficção e o documentário, porque isso seria toda outra discussão.

5:36 da tarde  
Blogger Hugo said...

Completamente de acordo novamente.

5:40 da tarde  
Blogger Lauro António said...

Por mim, a diferença não está na narrativa ou não, está na forma como o autor consegue criar uma atmosfera própria, um clima, um estilo seu. De resto, há obras-primas de narrativa clássica, ou não (de Griffith a Lynch), e há muitos exemplos interessantes de autores que ou passam ao lado da narrativa ou a contestam. O essencial é haver “autores”, seres que marquem com a sua personalidade as obras que realizam. O resto, julgo serem falsos problemas. Pelos mesmos anos 60 e 70, por exemplo, Visconti, Antonioni e Godard rodavam obras-primas. Com ou sem narrativa.
Belíssimo trabalho no seu blogue. Um abraço.

3:53 da manhã  
Blogger Hugo said...

Obrigado, Lauro.

10:14 da tarde  
Blogger Flávio said...

Não acho que um cineasta seja um 'artiste' ou mais sofisticado que os outros só porque não sabe contar uma boa história. Bem pelo contrário. Contar uma história é a coisa mais difícil (e diria até, sublime) a que um cineasta pode aspirar. Mais difícil para ele e mais gratificante para nós, espectadores. Toda a gente gosta de uma boa história, excepto os críticos mais pretensiosos.

9:15 da tarde  
Blogger 奇堡比 said...

新女性徵信
外遇調查站
鴻海徵信
亞洲徵信
非凡徵信社
鳳凰徵信社
中華新女性徵信社
全國新女性徵信社
全省女人徵信有限公司
私家偵探超優網
女人感情會館-婚姻感情挽回徵信
女子偵探徵信網
女子國際徵信
外遇抓姦偵探社
女子徵信社
女人國際徵信
女子徵信社
台中縣徵信商業同業公會
成功科技器材
女人國際徵信社
女人國際徵信
三立徵信社-外遇
女人國際徵信
女人國際徵信
大同女人徵信聯盟
晚晴徵信

7:59 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home